O que é Agricultura 4.0 e como ela impacta a gestão agrícola?

Descubra como as novas tecnologias e tendências da Agricultura 4.0 podem otimizar a gestão e a produção agrícola.

Clima, solo, insumos, pragas, mão de obra. Quando se trata da agricultura, são muitos os fatores que influenciam na produção. Por isso, quanto mais precisa for cada informação sobre o campo, mais eficiente será a sua gestão e, por consequência, seus resultados. Nesse caso, a Agricultura 4.0 pode fazer toda a diferença.

A seguir, descubra o significado desse termo, quais são as suas vantagens e como colocar essa tecnologia em prática no campo.

O que é Agricultura 4.0?

Derivada da Indústria 4.0, a Agricultura 4.0 pode ser definida como um conjunto de tecnologias digitais formado a partir de softwares, sistemas e equipamentos, com o objetivo de otimizar a cadeia produtiva em todas as suas etapas, desde o plantio até a colheita.

Essa combinação de tendências dá origem a dados e informações em tempo real, que podem ser utilizadas para orientar e facilitar a tomada de decisões, além de automatizar processos por meio da Internet das Coisas (IoT).

Quais são as suas vantagens?

Como toda tecnologia, a Agricultura 4.0 é muito vantajosa para o gestor de produção rural, tornando os processos mais eficientes. Conheça as principais vantagens delas e veja como fazem a diferença no campo.

Agilidade: com informações mais rápidas e precisas obtidas a partir da tecnologia, é possível tomar decisões de forma ágil e correta, focando no que realmente é importante para garantir mais produtividade. Além disso, também se economiza tempo com atividades que antes eram realizadas manualmente.

Produtividade: tempo é dinheiro e agilidade é produtividade. Com mais rapidez na gestão e nos processos, é possível produzir mais com menos tempo e menos recursos, como os insumos para a lavoura.

Redução de custos: ao tomar decisões corretas e direcionadas para cada parte específica do campo, o que também é conhecido como agricultura de precisão, se evita o desperdício de insumos, proporcionando a redução de custos. A automação de processos também diminui a necessidade de mão de obra, diminuindo gastos com contratações.

Sustentabilidade: a tecnologia permite descobrir com precisão quais áreas da lavoura sofrem com a infestação de pragas e aplicar os pesticidas apenas onde é realmente necessário. Dessa forma, se evita a contaminação de outras partes do solo e a produção se torna mais sustentável.

Segurança: ao monitorar as operações e máquinas de perto, fica mais fácil detectar possíveis falhas com mais antecedência, trabalhando com a manutenção de equipamentos agrícolas e garantindo mais segurança.

Como colocar em prática?

Agora que você já sabe o que é a Agricultura 4.0 e quantas vantagens ela proporciona, chegou a hora de descobrir como essa tecnologia funciona na prática.

Como já foi visto anteriormente, essa modalidade de agricultura digital combina tecnologia da informação, big data e outras inovações para coletar dados que auxiliam os processos produtivos. A seguir, conheça as principais delas.

Sensores: já existem sensores capazes de detectar temperatura, umidade, irrigação, salinidade e até mesmo o desenvolvimento de plantas. Em geral, eles são instalados nos equipamentos e máquinas agrícolas, que contam com cada vez mais qualidade para impactar a produção.

GPS: o sistema de posicionamento global via satélite, já muito utilizado nos segmentos automotivo e de aviação, chegou também à agricultura. Ele pode ser útil para implementar desde o piloto automático nas máquinas até criar os veículos autônomos, otimizando o trabalho dos produtores rurais em grandes propriedades ao analisar e tratar o solo de forma remota.

Impressora 3D: essa tendência está ganhando cada vez mais espaço em diversos segmentos e com a agricultura não é diferente. A tecnologia já pode ser utilizada para imprimir peças de reposição para o maquinário, ferramentas para o campo, próteses para animais, entre outros.

Softwares: com a captação de tantos dados, é fundamental contar com uma plataforma para reunir e organizar todos eles. É aí que entram os softwares de gestão agrícola, que facilitam a análise das informações a partir de mapas e gráficos e ajudam a gerenciar atividades, maquinário, suprimentos, produção, financeiro e resultados da safra em um só lugar.

A tendência é que essas inovações se tornem cada vez mais comuns nas lavouras e que, com o tempo, surjam ainda mais alternativas para revolucionar o agronegócio. Você já aposta em alguma delas?

Quer ler mais conteúdos como este? Acesse o Blog da Ciser, a maior fabricante de fixadores da América Latina, e confira todos os materiais feitos exclusivamente para o segmento agrícola.

Este artigo foi produzido pela Ciser, empresa especializada na fabricação de fixadores.

Quer saber mais sobre o MyFarm?

Entre em contato e agende uma demonstração com nossos consultores!

Solicitar demonstração

Veja também

Are, Hectare, Centiare e mais: conheça as unidades de medidas agrárias
Pulverizador agrícola: saiba como escolher o seu
Crédito Rural: o que é e quem tem direito a ele
O que é Agricultura 4.0 e como ela impacta a gestão agrícola? entre em contato conosco pelo WhatsApp