Produção agrícola: o Brasil como líder mundial

A produção agrícola no Brasil está passando por um momento bastante favorável. Isso se deve às condições climáticas, que têm beneficiado as lavouras de grãos nas principais regiões do país.

As perspectivas são boas. Afinal, o esperado é que os níveis de produtividade apresentem um bom desempenho, especialmente nas culturas de soja e milho, que impulsionam o volume total e ao que tudo indica devem garantir mais um recorde na safra de grãos do país.

Neste artigo, você vai conferir todas as previsões para a safra de 2020 e ficar informado sobre os resultados referentes aos meses de janeiro e fevereiro.

Ficou interessado? Então, vamos lá!

Qual a estimativa de crescimento da produção agrícola para 2020?

De acordo com informações do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA), a produção de soja deve representar metade do volume de toda a produção nacional de grãos em 2020.

Em resumo, a pesquisa prevê que a safra brasileira deve ser a maior da série histórica do instituto, alcançando 246,7 milhões de toneladas, isto é, 2,2% acima do resultado de 2019.

De modo geral, a soja, o milho e o arroz são os três principais produtos, sendo que, a soma deles representa 93,2% da estimativa da produção e respondem por 87,2% da área a ser colhida.

Se comparado ao ano passado, houve acréscimo de 1,3% na área do milho, 2,4% na área da soja e declínio de 2,5% na área do arroz. Dessa forma, preços favoráveis ao produtor, estão incentivando o cultivo do milho e da soja.

Janeiro

No mês de janeiro, a produção de cereais, leguminosas e oleaginosas para 2020 foi estimada em 246,7 milhões de toneladas. Sendo 2,2% acima da safra de 2019 (mais de 5,3 milhões de toneladas), e 1,5% superior ao 3º prognóstico (mais de 3,5 milhões de toneladas).

Desse modo, a área ser colhida é de 64,3 milhões de hectares, 1,7% acima de 2019 (mais 1,1 milhão de ha) e 0,3% maior que o mês anterior (mais 193,5 milha).

Além disso, destacaram-se as variações nas estimativas de produção em referência ao mês de dezembro. Logo, o feijão 2ª safra (10,8%), castanha de caju (9,4%), milho 2ª safra (3,4%), sorgo (3,0%), milho 1ª safra (2,1%), mandioca (1,1%), feijão 3ª safra (0,9%), soja (0,8%) e feijão 1ª safra (0,5%). No entanto, em relação à produção do algodão herbáceo houve uma queda de 1,2%.

Agora, se tratando da variação absoluta, os destaques positivos ficaram com milho 2ª safra (2,3 milhões de toneladas), soja (974, 1 mil toneladas), mandioca (204,5 mil toneladas), feijão 2ª safra (125,6 mil toneladas), algodão herbáceo (81,8 mil toneladas), sorgo (77, 4 mil toneladas), milho 1ª safra (58,1 mil toneladas), castanha de caju (10,7 mil toneladas), feijão 1ª safra (6,5 mil toneladas) e feijão 3ª safra (4,3 mil toneladas).

Por fim, conforme o indicador de soja divulgado pelo Cepea – Esalq/USP, o mês de janeiro fechou com a saca de 60Kg da soja no valor de R$ 85,33 no Porto de Paranaguá/PR, representando uma queda de 2,9% no mês, porém com aumento de 10,7% nos últimos 12 meses. Já a saca de 60Kg de milho encerrou janeiro com o valor de R$51,16, mostrando um aumento de 5,22%.

Fevereiro

Conforme dados do LSPA, a estimativa de fevereiro para a safra de grãos 2020 atingiu mais um recorde: 249 milhões de toneladas. Isso significa um crescimento de 3,1% em relação a 2019, quando foi de 241,5 milhões de toneladas.

Considerando o mês de janeiro, houve uma alta de 0,9% (2,3 milhões de toneladas). Além do mais, a área colhida aumentou 1,8% frente a 2019 e 0,1% em comparação à primeira estimativa de 2020, chegando a 64,4 milhões de hectares.

Em relação ao ano anterior, houve acréscimo de 1,4% na área do milho (3,9% na primeira safra e 0,5% na segunda), de 2,6% na área da soja e de 5,8% para área de algodão herbáceo e declínio de 2,3% na área de arroz.

No que se refere à produção, os resultados apontaram o acréscimo de 10,4% para a soja, de 1% para o arroz e de 1,8% para o algodão herbáceo.

Nesse sentido, a produção de soja atingiu o recorde na série histórica com uma estimativa de 125,2 milhões de toneladas, bem como, a do algodão, que tem previsão para 7,0 milhões de toneladas e o arroz com 10,4 milhões de toneladas.

O aumento da produção alcançou todas as regiões do Brasil?

Na prática, todas as regiões do país apresentaram aumento na produção agrícola. Sendo:

Ao todo, o volume da produção foi de 112,9 milhões de toneladas no Centro-Oeste (45,3%), 81,4 milhões de toneladas no Sul (32,7%), 24,1 milhões de toneladas no Sudeste (9,7%), 20,6 milhões de toneladas no Nordeste (8,2%) e 10,1 milhões de toneladas no Norte (4,1%).

Gráfico da Produção Agrícola - Fevereiro de 2020

Fonte: Agência IBGE

Já na distribuição da produção agrícola pelas unidades da federação, o Mato Grosso lidera como maior produtor nacional de grãos com uma participação de 26,9%. Em seguida, o Paraná (15,9%), Rio Grande do Sul (14,1%), Goiás (10,2%), Mato Grosso do Sul (8,0%) e Minas Gerais (5,9%), que juntos totalizam 81,0% em relação do valor nacional.

Safra 2019/2020: estimativa de área, produtividade e produção

Na safra 2019/2020 está previsto o aumento de 2,4% na área plantada em relação à safra passada. No total, são estimados cerca de 64.778,8 mil hectares para esse ciclo, correspondendo a uma variação absoluta de 1.516,6 mil hectares, gerado principalmente pelo crescimento da área de soja e milho.

Algodão

A área estimada para a temporada é de 1.679,8 mil hectares, mostrando um aumento de 3,3% em relação aos 1.618,2 mil hectares efetuados na safra passada. Dessa forma, a produção esperada para o setor é de 2,85 milhões de toneladas de algodão em pluma.

Arroz

Nas últimas safras, a área cultivada com arroz reduziu, sobretudo em locais de sequeiro. No entanto, a proporção do plantio em regiões irrigadas são maiores, gerando o aumento da produtividade.

Sendo assim, a expectativa de produção para essa safra é de 10,52 milhões de toneladas, representando um aumento de 0,8% em relação à safra passada.

Feijão

Por ser uma cultura de ciclo curto, o feijão pode ser plantado em até três momentos no período da temporada. A primeira safra de 2020 é estimada em 924,8 mil hectares, isto é, aumento de 0,2% relacionada a safra passada.

No geral, a produtividade maior deverá resultar em produção de 1,05 milhão de toneladas. Logo será 6,1% maior que a última safra, que sofreu com problemas ocasionados por adversidades climáticas, prejudicando assim, a produção.

Já o feijão da segunda safra, no começo do cultivo, deverá ter uma área plantada de 1,44 milhão de hectares, 2,5% acima da área da safra passada.

Milho

Na primeira safra, a estimativa é de 4,23 milhões de hectares, ou seja, 3,2% maior que a área cultivada na safra 2018/2019, influenciada pelas boas cotações atuais do cereal.

Como os problemas climáticos na Região Sul afetaram o potencial produtivo das lavouras, o rendimento deve resultar em 24,3% menos que na última safra.

A segunda safra de milho tem semeadura acontecendo de acordo com o avanço da colheita da soja. Mato Grosso, principal estado produtor, é o mais antecipado no plantio de milho, com mais de 92% semeado até o fim de fevereiro.

Já a terceira safra está estimada em 1,16 milhão de toneladas. Desse modo, a previsão nacional de produção de milho, considerando a primeira, segunda e terceira safras deverá apresentar o volume parecido com o da safra 2018/2019 e gerar uma produção de 100,1 milhões de toneladas.

Soja

A safra de soja tem o crescimento na área de 2,6% maior que a última temporada, seguindo a tendência de aumento das últimas safras. Em resumo, a produção agrícola estimada em 124,2 milhões de toneladas, um recorde na série histórica.

Até o momento, cerca de metade das lavouras foram colhidas apresentando bons resultados na produtividade e qualidade de grãos. Assim, o Mato Grosso apresenta 87% de área colhida até o final de fevereiro, seguido de Goiás com 52% e do Mato Grosso do Sul com 47%.

Conclusão

O cenário da produção agrícola no Brasil promete trazer resultados positivos. Segundo dados do IBGE, a produção de soja deve representar a metade do volume de toda a produção nacional de grãos em 2020.

Em outras palavras, a safra de 2020 deve bater o recorde de 240,9 milhões de toneladas, superando em 33,6 mil toneladas, o esperado em 2019.

Com essa previsão, a safra 2019/2020 vai representar a maior da série histórica, iniciada em 1975, ficando à frente do atual recorde de 2017, de 238 milhões de toneladas.

Viu como a produção agrícola no Brasil está em crescimento? Que tal saber mais sobre o mercado do agronegócio no nosso artigo “O que é Agronegócio: mercado, profissões e curiosidades”?

Até a próxima!

Quer saber mais sobre o MyFarm?

Entre em contato e agende uma demonstração com nossos consultores!

Solicitar demonstração

Veja também

O que é Agricultura 4.0 e como ela impacta a gestão agrícola?
Crédito Rural: o que é e quem tem direito a ele
Do plantio à colheita das culturas: a importância de ficar atento aos prazos
Produção agrícola: o Brasil como líder mundial entre em contato conosco pelo WhatsApp