A importância da segurança alimentar: da plantação ao consumo

A segurança alimentar é definida como o conjunto de práticas que visam garantir às pessoas o acesso a alimentos seguros e nutritivos, em quantidade suficiente para satisfazer suas necessidades nutricionais e preferências alimentares para uma vida ativa e saudável.

Nesse sentido, é importante que produtores rurais se atentem para métodos adequados de cultivo a fim de garantir a produção de alimentos seguros e de boa qualidade para a população.

Entenda a seguir, quais fatores comprometem a segurança alimentar e o que é preciso fazer para garantir o acesso à alimentação saudável para todos.

Confira!

O que é segurança alimentar?

De acordo com a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), a segurança alimentar ocorre quando todas as pessoas têm acesso físico, social e econômico permanente a alimentos seguros, nutritivos e em quantidade suficiente para satisfazer suas necessidades nutricionais e preferências alimentares, tendo assim uma vida ativa e saudável.

Sendo assim, para garantir a segurança alimentar é necessário considerar um grupo de regras em relação à produção, transporte e armazenamento de alimentos, determinadas por normas já estabelecidas referentes a questões microbiológicas e sensoriais, que estipulam quais os alimentos são adequados para o consumo.

Contudo, a segurança alimentar é um direito de todo ser humano, independentemente de região, raça, religião ou sexo.

>>> MATERIAL GRATUITO: E-BOOK GUIA COMPLETO PARA GESTÃO AGRÍCOLA <<<

Como surgiu a segurança alimentar?

A princípio, o termo “segurança alimentar” surgiu na Europa, logo após o fim da Primeira Guerra Mundial. Isso porque, a partir do conflito, foi possível perceber que um país poderia dominar o outro desde que ele tivesse poder sobre o controle de seu abastecimento de alimentos.

Logo, fazer esse controle foi uma estratégia importante, especialmente quando fosse aplicado por uma região mais potente em relação a outra, com menos potencial, isto é, incapaz de produzir quantidades de alimentos necessárias para alimentar toda a sua população.

Contudo, o nome “segurança alimentar” tem uma origem militar porque era uma questão de segurança nacional que cada região fosse capaz de produzir os seus próprios alimentos ou, pelo menos, possuir estoques suficientes.

Qual é o objetivo da segurança alimentar?

Em síntese, a segurança alimentar tem o intuito de assegurar a todos os indivíduos alimentos básicos de qualidade, em quantidades satisfatórias permanentemente e sem afetar o acesso a outras necessidades fundamentais com relação às práticas alimentares saudáveis.

Isso significa que o principal objetivo é contribuir para uma vivência digna e um desenvolvimento absoluto do indivíduo.

Quais fatores comprometem a segurança alimentar no mundo?

Para alcançar a segurança alimentar, é necessário se atentar para alguns fatores que podem comprometê-la. Sendo assim, conheça seus principais desafios!

Desperdício de comida

O desperdício de comida é um fator importante a ser enfrentado, visto que, no contexto do agronegócio, ao longo do processo de produção, o produtor rural lida com muitas perdas, principalmente quando são adotadas técnicas antigas de manejo durante a plantação, colheita e a armazenagem.

Nesse cenário, o sistema de armazenagem brasileiro merece atenção, uma vez que, enfrenta graves gargalos por não possuir estrutura necessária para estocar a safra produzida.

Um exemplo é a soja, que muitas vezes é juntada em um monte e cobertas com uma lona. Esse processo de estocagem inadequado faz com que o material apodreça.

Políticas Públicas

Outro ponto importante a ser destacado é que a segurança alimentar também depende de políticas públicas responsáveis por garantir o acesso do alimento às pessoas.

Sendo assim, não bastaria aumentar a produção e cuidar de problemas que reduzam o desperdício. Mais do que isso, é necessário oferecer acesso de produtores a máquinas agrícolas de boa qualidade bem como promover ações que assegurem à população o acesso aos alimentos.

Mudanças climáticas

O clima representa um aspecto essencial na produção de alimentos. Isso ocorre porque as condições extremas podem interferir substancialmente nos resultados da safra.

Tanto é verdade que projeções divulgadas pela Embrapa apontaram uma redução média de 30% na produtividade de trigo no Brasil e 16% nas lavouras de milho, considerando o período entre 1990 e 2060.

Escassez de recursos naturais

A escassez de recursos naturais também representa um fator muito importante. Nesse cenário, a degradação dos solos e o estresse hídrico são grandes desafios para a produção de alimentos no mundo.

De acordo com estudo da FAO em parceria com pesquisadores da Embrapa, 30% dos solos do mundo estão em estado de degradação. Essa condição resulta em solos com baixa ou nenhuma fertilidade, terras improdutivas, processos erosivos e deslizamentos.

Além disso, segundo dados, também divulgados pela FAO, 70% da água consumida no mundo é direcionada para as atividades agrícolas. Entretanto, a competição pelo uso da água só aumenta pela maior concentração de pessoas nas grandes cidades e pelo setor industrial.

O que é preciso para garantir o acesso à alimentação saudável para todos?

Como a segurança alimentar tem o papel de fornecer alimentos saudáveis, é importante que o produtor rural dê atenção a todas as etapas da produção. Confira!

Controle de defensivos

É fato que o Brasil é o maior consumidor de agrotóxicos do mundo. Nesse sentido, é importante ressaltar que o uso inadequado desses produtos pode oferecer riscos à saúde não só do consumidor final, mas também do próprio agricultor que está envolvido na aplicação dos defensivos.

Desse modo, algumas medidas podem ser adotas a fim de prevenir ou reduzir as chances de contaminação, como:

Produção sustentável

A produção sustentável tem como princípio o respeito, a responsabilidade e o conhecimento em relação aos recursos do meio ambiente. Nesse sentido, existe uma grande preocupação em relação ao impacto que as ações do agronegócio têm sobre a sociedade e a natureza que a cerca.

Algumas práticas sustentáveis utilizadas são:

Agricultura de precisão

A agricultura de precisão utiliza técnicas, equipamentos e softwares, como o MyFarm, para otimizar os processos de produção. Isso é possível graças à coleta e análise de dados da propriedade, como solo, tipo de lavoura e clima.

Contudo, o conjunto desses registros permite que o produtor tenha acesso à informações suficientes para a tomada de decisão sobre a aplicação de fertilizantes e defensivos, por exemplo.

Além disso, ajudam o gestor a identificar falhas mecânicas e humanas que poderiam colocar em risco a segurança dos alimentos, expô-los à contaminação ou desperdiçar recursos.

Embalagens e Preparo das Refeições

As embalagens são itens de extrema importância para garantir a preservação da integridade do alimento e das suas características nutricionais, bem como para facilitar o transporte e o manuseio. Logo, recipientes impróprios podem expor os produtos à contaminação, degradação, rápido amadurecimento e perdas.

Outro fator importante é o preparo dos alimentos, uma vez que há grandes riscos de contaminação por bactérias e fungos, além do armazenamento inadequado. Sendo assim, durante a manipulação dos alimentos é preciso tomar cuidados simples como a higienização dos produtos e das mãos.

Enfim, conseguiu entender o que é segurança alimentar e o porquê ela importante para a sociedade? Aproveite e leia o nosso artigo sobre produção agrícola.

Quer saber mais sobre o MyFarm?

Entre em contato e agende uma demonstração com nossos consultores!

Solicitar Teste Grátis

Veja também

Grãos, sementes e cereais: qual a diferença?
Dicas para você se tornar bom administrador de fazenda
Métodos de amostragem de grãos e seus impactos na safra
A importância da segurança alimentar: da plantação ao consumo